terça-feira, 20 de março de 2018

Minha coleção - Parte II - A retomada

Outubro de 2003, caso com minha esposa (e continuo casado com ela, mãe dos meus dois filhos). Minha mãe, professora aposentada, mas sempre muito organizada, manda para nossa nova casa, todas as minhas coisas: roupas, livros, brinquedos (não sei porque cargas d´água ela guardou os meus brinquedos por todos esses anos, mas guardou), material da faculdade, e, uma caixa, com  tampa vermelha, com meus selos. Na casa nova, tudo o que eu não tinha uma real utilidade, foi para o quartinho da bagunça, o lugar que deixamos as coisas que não queremos jogar fora, mas não sabemos porque, para que, e quando usaremos de novo.

Um belo dia, pelos idos de 2009, não sei porque, eu e minha esposa resolvemos tentar dar uma organizada naquela bagunça. Entre livros antigos meus, material da faculdade, fotos nossas, encontramos algumas lembranças de nossas infâncias. Minha coleção de figurinhas do Chocolate Surpresa (quem lembra, aqueles de bichos), a coleção de papeis de carta da minha esposa (fazia anos que não via isso, minha irmã tinha vários), uma coleção de carteiras de cigarro (das antigas, apesar de não gostar de cigarro, achei bem legal) que meu sogro deu para minha esposa, algumas notas e moedas antigas e, no fundo, uma caixa de papelão com tampa vermelha, minha antiga coleção de selos.

segunda-feira, 19 de março de 2018

Minha coleção - Parte I (adendo)

Fiquei pensando sobre a ida aquela loja filatélica, quando tentei vender minha "coleção" e, não sei porque, fui atrás desse selo que para mim, devia valer uma fortuna, afinal, era de 1906...
E ainda tenho ele, pobre coitado. Olhando agora, guardo ele por consideração, porque o estado dele é próximo do lamentável, hehehe

Falta bastante coisa nessa folha.

E aqui está o dito cujo:

 
Pobrezinho, tenho que conseguir um exemplar melhor para o álbum.

domingo, 18 de março de 2018

Minha coleção - parte I - O início

Resolvi falar um pouco da minha coleção de selos, como comecei, por onde ela andou, como retornou, qual o rumo que ela tomou e, imagino eu, qual o rumo que ela tomará daqui para frente.

Tudo começou no final de 1988, quando resolvi (não lembro bem por que, ou por quem fui influenciado) começar a colecionar selos. Lembro de meu pai me levar a um amigo dele (que colecionava selos) algum tempo depois e ele me dar umas dicas (como descolar os selos dos envelopes, como usar a lupa e a pinça (inclusive me deu uma pinça e um catálogo RHM de 1988, que tenho até hoje guardado).
 
Depois disso, comecei a pedir para parentes para separarem as cartas que recebiam com selos para mim, até chegar uma “coleção” (na verdade, um ajuntamento de selos em diversos envelopes), de algum parente distante, que veio por intermédio da minha avó. De uma hora para outra, minha coleção de selos saltou de algumas centenas para mais de 1.000 selos, de diversos países. Para um guri de 12/13 anos era um mundo de selos. Separa por países, por temas, por tipos (por tipos, na verdade, seria por tamanho: pequeno, médio, grande). Continuei comprando selos nos correios, pois mais um ano e, não lembro o motivo, no início dos anos 90 acabei deixando de lado a coleção, guardada dentro de uma caixa, embaixo da minha cama.

segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

domingo, 25 de fevereiro de 2018

Atualização do Suplemento 2017

Amigos, por alerta do Giordano, há uma informação conflitante no edital da emissão sobre a C-3705.

Por questão de espaço e estética, não coloquei o título completo da emissão, mas realmente ficou estranho, e consultando alguns sites, realmente a tal Revolução Republicana em Pernambuco é mais conhecida por Revolução Pernambucana.

Fiquei na dúvida se seguia o texto do edital ou como ela é mais conhecida. Por sugestão do Giordano, para respeitar o texto do edital, e informar corretamente, e (ufa!) não ficar um texto muito longo, coloquei a sigla do estado do final.

Acredito que assim a informação fica correta, completa, e igual a do edital.

Link direto para o álbum atualizado (2017), ou direto na página do álbum.

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

Suplemento 2017 disponível

Amigos, segue suplemento de 2017.
Se encontrarem algum erro, falha, ou tamanho de quadro incorreto, me avisem.

Álbum de selos

sábado, 13 de janeiro de 2018

Quando acho que já vi de tudo...

Nunca imaginei que receberia uma mensagem deste tipo, neste blog.
Não entro em assuntos polêmicos, e ainda disponibilizo de GRAÇA, o álbum, para quem quiser usar.
Tudo bem que é o álbum que eu utilizo na minha coleção, mas poderia muito bem guardar só para mim.  Ainda tirei um tempo e montei páginas para selos-etiquetas e selos personalizados, que não coleciono, apenas para ajudar os outros. Montei páginas de folhas inteiras (de novo, que não coleciono) para ajudar que coleciona desta forma.
Nunca pedi nada em troca, tá aí, para quem quiser (ok, se alguma alma caridosa quiser dar alguma contribuição, aceito selos universais, qualquer tipo, qualquer pais, desde que não estejam estragados, pois como coleciono selos de todo o mundo, sempre posso encontrar algo que não tenho no que os outros não querem, hehehe).
Esta semana entrou uma mensagem me acusando de roubo (ok, não foi me acusando diretamente, mas acusando um fórum, e de certa forma, me incluindo).
Quem quiser ver o comentário, segue o link:
http://mystampcollectionbrazil.blogspot.com.br/2017/04/novidade-suplementes-para-selos.html
Primeiro lugar, deve fazer mais de ano que não faço nenhuma troca, ou seja, não devo estar devendo selo para ninguém. Também todas as minhas raríssimas compras foram pagas. O pouco que participei foram de duas correntes, mas nunca deixei ninguém na mão (pelo contrário, fiquei com muita porcaria que alguns colocam, mas enfim, faz parte, não me fez falta esses selos).
Juro que estou até agora tentando entender o que foi esse comentário.